10ª Paragem 2016: Provavelmente a melhor prova do ano até ao momento!

4º Trilhos das Lampas


Tempo: 01:29:11

Distância: 20.37kms
Classificação Geral: 7º Classificado
Classificação Escalão: 7º Classificado SenM


Após o agitado mês de Abril no que a provas diz respeito (3 provas em 5 fins de semana), chegava a altura de voltar atenções para o Campeonato Nacional de Trail, competição onde já tinha participado em 2 provas desde Janeiro de 2016. À partida esta prova tinha tudo para se diferenciar das outras duas: Não se previa chuva durante a prova e a quilometragem era substancialmente menor! Enquanto que nos 42kms de Portalegre e nos 30 de Poiares a prova tinha que ser gerida e tinha que ter alguns cuidados a nível da tecnicidade do percurso, nesta prova tinha "apenas" que dar o meu melhor do primeiro ao último quilómetro e ir rezando para que não me encontrasse com o homem da marreta.



Dois fins de semanas antes desta prova tinha participado no I Mini Trail Vitorino Coragem, um trail solidário, organizado pelos Bombeiros Voluntários de Miranda do Corvo e que tinha como objetivo não só ajudar os bombeiros da localidade mas também homenagear um dos senhores que mais fez pelo trail nacional e que merecia uma festa como a que decorreu neste evento (esta foi a 9ª paragem, que por ter tido um cariz solidário e pouco competitivo não tinha necessidade de ser descrita no blogue). Esta prova tinha a distância de 15kms (400mts de D+) e terminei em primeiro lugar com 01:09:41. Mais do que o lugar que obtive as sensações ao longo dos quilómetros deixaram-me bastante animado, senti que podia meter ritmos altos ao longo de quase toda a prova e que mesmo no fim das subidas não perdia o ímpeto com que corria antes da subida. A prova que se seguia eram os 20kms de S. João das Lampas e devido à curta distância de ambas as provas estes eram bons indicadores dados pelo meu corpo.



A semana que antecedeu a prova foi passada essencialmente a prepará-la... Os treinos foram cumpridos exatamente como planeado e cheguei ao treino de sexta feira à tarde com os caracóis a sentir-me com força para o que se passaria no dia seguinte. O sábado foi um dia muito calmo, dormir o suficiente para repor todas as energias do corpo, comer bem, ir à namorada receber o beijo de boa sorte e às 16h foi hora de seguir para São João das Lampas. A comitiva de caracóis era enorme, dos 16 inscritos partiram 14 e junto com estes seguiu a já habitual equipa de apoio que tem dado tão boa conta da tarefa de nos auxiliar em tudo o conseguem! Assim que chegámos os dorsais já estavam levantados pelo Crispim, foi só equipar e seguir para um aquecimento, afinal de contas 20kms é uma prova muito, muito rápida e exige que os músculos já estejam preparados para a carga que aí vem... Como já tínhamos previsto a zona de partidas começou a ter um grande aglomerado e tivemos que ir para a linha de partida 10 minutos antes da hora para conseguir sair na frente. Aproveitei para falar com o Fábio Fontoura sobre a prova, últimas palavras com o meu mano mais velho e estava quase na hora...


Linha de partida minutos antes das 19:30


À hora marcada e ao som de um disparo saíram mais de 900 atletas para esta aventura. Mais uma vez, como era de esperar o ritmo inicial foi altíssimo... A prova começava com uma volta dentro do jardim e até aos 4kms não tinha nenhum desnível significativo. Segundo o relógio fiz o primeiro quilómetro a 3'20''/km... O ritmo ia muito alto e nem tinha coragem de olhar para o relógio, tentei não perder muito espaço para o quarteto que se formava na frente e tentava colar aos outros dois atletas que iam na perseguição a esse grupo! Quando estávamos a entrar no terceiro quilómetro lembro-me de olhar para o relógio e ver que "ainda" só tinham passado 7min... Sorri e pensei que aquela era a típica prova do "tudo ou nada", não havia cá tempo para gestões! A primeira subida deixou boas indicações, ainda que não fosse muito extensa tinha alguma altimetria e o corpo não pediu para baixar drasticamente o ritmo.


Poucos quilómetros após a partida, na perseguição ao grupo da frente


A prova mudava substancialmente a partir do 5º quilómetro. A planície que marcou o início da prova era agora substituída por um sobe e desce constante que não sendo muito inclinado obrigava a mudanças de ritmos... Aos 8kms o ritmo ainda ia mais rápido que os 4'/km e a coisa começava a assustar-me, ia num ritmo que não seria suportável durante a totalidade da prova mas também não podia abrandar porque seria logo ultrapassado por vários atletas que vinham na perseguição. Foi nesta fase que desci alguns lugares... Se não me enganei nas contas, desci de 7º para 11º. Apesar de serem 4 lugares não perdi praticamente distância nenhuma para esses atletas que passaram portanto continuava na luta pelo top 10. Por volta do 9º quilómetro surge a primeira grande subida da prova e foi aqui que a prova se começou a alterar para mim. Consegui fazer a subida quase toda a correr, passei o 10º, colei ao 9º e aproximei-ma bastante do grupo onde iam os 5º, 6º, 7º e 8º. Seguiu-se uma descida até à primeira praia onde passávamos... Aí o ritmo voltou a subir exponencialmente e percebi que tinha que apertar ainda mais para não perder tudo o que tinha ganho na subida anterior. 


Passagem pela praia

Subida logo após a passagem da praia




























Após a passagem iniciava-se uma fase da prova muito marcada pelas arribas que iam acompanhando o mar... Os declives aqui eram mais que muitos, a prova tornava-se mais técnica e o ritmo teimava em não baixar. Foi aqui que me senti melhor, a subir sentia-me com muita força, a direito conseguia manter um ritmo alto e nas descidas começei por perder algum tempo. Digo começei porque a perseguição estava a dar cada vez mais frutos, ia junto com o Bruno Sousa a aproximar-me do grupo que referi antes e o outro atleta já tinha ficado para trás. Eu ia puxando nas subidas e a direito e o Bruno acabava por fazer as descidas com mais velocidade que eu... Provavelmente não estava a arriscar o suficiente mas quando vi que me estava a aproximar bastante do grupo da frente começei a ser menos cauteloso e consegui finalmente alcançar a frente deste grupo, que era composta por dois conhecidos destas andanças, o Tiago Lousa e o Diogo Baena. No vídeo a seguir conseguem ver a aproximação que fiz com o Bruno Sousa.


Após esta fase das colinas seguia-se uma fase que continuava junto ao mar, mas mais plana e foi nesta fase que me começei a aperceber da prova que estava a fazer... O Bruno tinha ficado para trás e seguia junto com o Tiago e o Diogo, num ritmo altíssimo e já só faltavam cerca de 5kms para a prova acabar. 

Eu junto com uma das minhas referências como pessoa e como atleta Tiago Lousa, perto dos 16kms.


O ritmo deles era ligeiramente superior mas ia conseguindo não perder mais de 50/60mts e quando olhava para trás não via ninguém a aproximar-se... Tinha que dar tudo por tudo para me manter naquele grupo, isso garantia-me pelo menos o 7º lugar o que já era muito melhor do que tinha previsto. A situação manteve-se até aos 19kms, altura em que surgiu mais uma subida longa, iluminada com archotes onde consegui voltar a colar aos dois. Sentia-me com muita força a subir e deixei-me ir no grupo com eles. Assim que voltou a ficar plano já faltavam menos de 1000mts para o fim da prova e nos primeiros metros íamos em comboio, com o Lousa a encabeçar e eu a fechar.


Final da subida a um quilómetro da meta


O último quilómetro poderia ter sido de loucos, com ritmos alucinantes, mas aquilo que para mim era alucinante (3'55''/km) não era suficiente para os conseguir acompanhar... A diferença entre os três ia ficando bem demarcada, e assim como acabámos a subida final, acabámos também a prova, o Tiago em 5º, o Diogo em 6º e eu em 7º. Se há um ano me dissessem que era possível chegar a um quilómetro da meta de qualquer prova no país com estes dois senhores eu simplesmente ria-me, mas a verdade é que os treinos têm dado os seus frutos e só posso agradecer ao meu pai por tudo aquilo que tem feito por mim! Tens sido enorme!!!

No final da prova o objetivo estava cumprido, fechar o top 10, contribuir para uma boa classificação coletiva (2º lugar, atrás de Ferreira do Zêzere) e divertir-me a correr... Apesar de não ser o meu estilo de prova preferido, correr com o coração na garganta durante 20kms, deu-me um enorme alento a maneira como esta prova foi decorrendo! A organização esteve praticamente perfeita a nível de marcações e abastecimentos! A água fria não foi boa, mas já tinha sido avisado pela organização. Não é fácil organizar um evento destes para um milhar de pessoas, mas conseguiram superar as minhas expectativas, parabéns! 

No final da prova a família caracol juntou-se para mais um jantar convívio e diversão foi coisa que não faltou, como sempre... Obrigado a todos por fazerem parte desta família! 

Agora é recuperar o corpo para na próxima semana atacar a maratona do Estrela Grande Trail.

Comentários

  1. Caro Tiago muitos parabéns pela fantástica prova que fez, pelo relato que nos deixa e muito obrigado pela apreciação do evento. É claro que teremos todo o gosto em partilhar o seu texto, pelo qual ficamos gratos. Volte sempre. Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pela discrição. Fiz 2h 44min e foi muito divertido! Lampas é sempre perfeito! Grande organização!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares