2ª Paragem 2016: Trail de Ourém

Trail de Ourém

Tempo: 04:08:48
Distância: 44.81kms
Classificação Geral: 2º Classificado
Classificação Escalão: 2º Classificado SenM

Depois da primeira prova do ano não ter saído nada ao meu jeito, tinha posto como objetivo apresentar-me bem na segunda prova do ano, que seria no último dia do mês de Janeiro, em Ourém. A preparação foi forte, o mês de Janeiro trouxe muitas dores de pernas mas ao mesmo tempo ia trazendo muito boas sensações para o que se avizinhava. Quando terminei a preparação física na sexta senti-me bem melhor do que na semana do Vicentino, o que me deixava bastante animado.

Após ver o Trail dos Abutres no sábado, mas pelo pc, foi tempo de fazer a mala e aguardar pelo domingo para também eu poder divertir-me nos trilhos do nosso país. No dia 31 pela madrugada, após o ajuntamento do costume pela parte da caracolada lá seguimos para Ourém. Após o levantamento dos dorsais, umas conversas com os amigos do costume do trail, a foto da praxe e siga para a linha de partida. É neste ponto que eu tenho duas coisas a apontar à organização que caso sejam melhoradas no próximo ano podem fazer deste evento um marco importante no calendário de trail em Portugal: antes na partida ninguém se dirigiu aos atletas para dar alguns pormenores importantes sobre a prova, o pessoal percebeu que tinha que seguir as fitas laranjas e a cal no chão, mas existiam muitas outras marcações espalhadas na serra que poderiam confundir! Em segundo lugar a partida em si, uma partida como que ao "magote" que fez com que os atletas das 3 provas partissem em conjunto... É lógico que quem sai mais prejudicado com isto são os elementos da prova longa uma vez que os ritmos das provas mais curtas seriam muito mais elevados e tornou-se muito complicado perceber onde os atletas de cada prova iam, ao ponto de só ao 20º km perceber que à frente do grupo onde eu ia, seguiam mais 3 atletas dos 45kms!




Caracóis prontos para a partida do Trail de Ourém

Voltando à partida... Apesar do ritmo das provas mais curtas, sabia que não poderia por um ritmo demasiado alto, enquanto que eles iam ganhando avanço, eu metia um ritmo de 3'50''/km até entrar no primeiro trilho mais técnico com cerca de 3kms de prova. Nesta altura já se começava a formar um grupo com alguns atletas que sabia estarem presentes e outros que não conhecia. Nesse primeiro trilho formou-se um grupo com o Luís Graça (Ferreira do Zêzere), o Pedro Ribeiro (Caracol) e mais um atleta que não conhecia. Com o avançar da prova, o João Faustino foi-se aproximando e o grupo de 5 atletas ficava composto! O ritmo era bastante alto, ninguém quebrava e mesmo as subidas, que não sendo muito inclinadas, tornavam-se frequentes eram todas feitas a correr! O percurso era algo técnico, como o pessoal do caracol está habituado a treinar e isso dava-me algum à vontade, sentia-me bem com aquele piso e não tinha que estar focado em não pisar a pedra errada. O primeiro abastecimento passou, o grupo manteve-se e o mesmo se passou no segundo: uns paravam, outros não, mas o grupo acabava sempre por se juntar. Pouco antes do 3º abastecimento, o tal elemento que não conhecia saiu do grupo, aumentou o ritmo e rapidamente deixamos de o ver. 


Passagem no primeiro abastecimento, com o Pedro Ribeiro

Quando chegámos ao 3º abastecimento, perto dos 20kms (o 1º exclusivo dos 42kms) perguntámos em que lugar íamos e foi-nos dito que estávamos em 4º, 5º, 6º e 7º, algo que até aí não sabia... Restava aumentar o ritmo dentro do possível para tentar fazer a aproximação a estes atletas. Com este aumento de ritmo o Pedro acabou por ficar para trás e restava eu, o Luís e o João para fazer a tal perseguição! O ritmo aumentou e antes do 30º km conseguimos alcançar os atletas que iam em 2º e 3º, numa das subidas mais inclinadas da prova, que mesmo sendo curta implicava ir a andar. Assim que acabou a subida, juntámos novamente o grupo mas o ritmo não diminuiu, o que implicou que daí para a frente os atletas fossem ficando para trás ficando apenas eu e o Luís Graça, sendo que eu fui aumentando gradualmente a vantagem. 


Últimos kms do trail de Ourém

A parte final do trail era a mais acidentada a nível de inclinações o que a acrescentar ao cansaço de ir a ritmos perto dos 5min/km durante 30kms levava a que qualquer subida parecesse grande e inclinada! Tentei fazer tudo a correr, não deu em algumas mas no geral estava a sentir-me com força... Em cada abastecimento que passava o apoio por parte da organização era total e o tempo perdido era quase nenhum, o ritmo ia diminuindo gradualmente mas sabia que não podia baixar demasiado para não perder o segundo lugar! Na parte final do percurso fui passando por atletas da prova dos 25kms que foram cedendo sempre passagem e ainda davam palavras de apoio... Foi assim que cheguei ao final da prova, com um enorme sorriso nos lábios pela prova que tinha feito e pela felicidade em perceber que todo o trabalho que ando a fazer está a dar frutos. 


Pórtico de chegada: 04:08:48

O tempo ia passando e o pessoal da equipa ia chegando... Parece que o treino está mesmo a fazer efeito e o pessoal está cada vez mais forte! A fazer as contas no fim percebemos que pela primeira vez na nossa curta carreira eu e o meu mano mais velho íamos partilhar o pódio, no escalão de SenM! Parabéns, mano! 


Pódio geral dos 45kms


Pódio de SenM com o meu mano mais velh

No final, o petisco caracolesco que é mais um dos grandes motivos para ter orgulho neste grupo de amigos! Agora resta continuar a treinar que daqui a duas semanas há mais. Boas corridas! 



Comentários

Mensagens populares