15ª Paragem de 2016: Primeiro pódio ATRP

IV Trail das Poldras

Distância: 37.07kms
Tempo: 03:33:09
Classificação Geral: 5º Classificado
Classificação Escalão: 3º Classificado SenM

Tinha dito no último post que a certa altura do Trail do Almonda decidi que ia só tentar manter o 4º lugar para estar pronto neste fim de semana para o Trail das Poldras... Esta seria a prova a contar para o Campeonato Nacional de Trail da ATRP e era aqui que queria estar forte! Tal como na semana passada, tentei preparar bem esta prova: O horário de partida não parecia o mais adequado, com o calor a fazer-se sentir em grande escala nos dias anteriores, esperavam-se temperaturas entre os 35º e os 37º e mesmo que a prova se desenrolasse à sombra, o calor iria sempre fazer-se sentir... Fui falando com o meu pai sobre as melhores maneiras de combater o calor, qual o material a levar, que abastecimentos tomar e como devia gerir a prova! A única coisa que tinha a certeza era que a prova ia ter que ser gerida no momento, consoante o corpo reagisse ao calor...

Após o Trail do Almonda tive finalmente uma semana em que consegui cumprir com 98% dos treinos planeados (falhei 15' de um dos treinos)! Tentei hidratar-me ao máximo, tentei descansar e ter uma alimentação cuidada na semana da prova... Nem tudo foi perfeito mas a verdade é que as coisas correram substancialmente melhor do que aquilo que tinha vindo a acontecer. Apesar de a prova partir às 15h, a saída de Torres Novas teve que ser bem mais cedo, 10h foi a hora de partida para ainda fazer uma paragem em Miranda do Corvo para almoçar e dar o último "doce" ao corpo antes de partir... À medida que nos aproximávamos do local da partida o termómetro ia subindo a temperatura e quando finalmente chegámos a Fataunços estavam "apenas" 35º! Apesar de termos partido com tempo de Torres Novas a chegada já foi feita um bocado em cima da hora... Só deu tempo de ir levantar dorsais, vestir o equipamento e seguir para a partida! Quem chegasse dez minutos antes à praça de onde saíram os atletas certamente não daria conta que a partida estava tão próxima a nível de tempo, não havia uma sombra que não estivesse ocupada e por trás dos tapetes da Stop and Go nem um atleta se vislumbrava! 5 minutos antes da partida lá se começou a aglomerar um pequeno grupo de atletas que foi crescendo até que às 17h em ponto se deu a saída...

Última conferência da equipa antes da partida
A prova iniciava-se com aquela que viria a ser a maior subida da prova. tinha 200mts de D+ e apesar de nem sempre subir (tinha dois troços pequenos a descer) exigia uma gestão muito criteriosa para não pagar a subida mais para o final da prova... O que tinha na cabeça era não forçar nada nessa subida, pois assim que a terminasse ficava sensivelmente com a mesma distância e o mesmo desnível que o Trail do Almonda e aí sim, começaria a minha prova! A saída da prova foi algo lenta, um ritmo confortável que me permitiu ir acompanhando o trio da frente (composto pelo Tiago Aires, pelo Tiago Romão e pelo Vitor Cordeiro) durante os dois primeiros quilómetros... Foi nesta altura que começo a sentir os primeiros sinais do calor, suor em bica, necessidade de beber água para não ficar com a boca seca e o corpo a dar ligeiros sinais musculares que não são muito habituais! Deixei-me seguir num bom ritmo mas sem conseguir acompanhar os da frente, ia fazendo uns metros a passo e outros a correr e quando dei por mim, já estava na cauda do grupo do top10! Assim que chegámos ao topo da subida, a minha mãe pergunta como estou e digo que estou bem, estava só a gerir a prova e assim que iniciávamos a descida estavam dois senhores com garrafões, aproveitei para encher um flask que tinha bebido durante a subida e para minha surpresa, quase ninguém do grupo para para beber um copo de água que fosse... Apesar de ter descolado do grupo sabia que seria muito importante manter a hidratação e no fim de estar abastecido segui no encalço do grupo!

Final da primeira subida, antes do primeiro abastecimento
Seguia-se uma fase da prova em que descíamos praticamente tudo o que subimos e foi logo na entrada para a terra batida (500mts depois do abastecimento) que começei a alcançar os últimos elementos do grupo... Como tinha saído com algum atraso tentei abrir a passada, aproveitar a descida e ganhar as posições que fossem possíveis! Fui-me chegando à frente até apanhar o Pedro Ribeiro que também tinha seguido na subida! O corpo estava a deixar-me correr e ainda não dava sinais exagerados de reação ao calor... Foi assim que o ritmo foi subindo e a classificação também! Perto dos 11kms uma situação que numa prova de trail do Campeonato Nacional não pode nunca acontecer... Após descermos do alcatrão e entrarmos num trilho ao lado do rio já levava mais de 500mts sem ver fitas, já desde que estava à 200mts sem ver achei estranho mas ali estava a começar a ser demais! Volto para trás e vem o Marco Nabais na minha direção, diz que também não vê fitas mas que o caminho tem que ser por ali! Decidimos continuar pelo caminho e esperar que as fitas aparecessem... Ao final de 300mts lá estava uma fita que iria dar novamente perto do alcatrão! 800mts sem fitas é uma enormidade de tempo, por muito que seja um single track (que não era) sem saídas, o atleta nunca pode passar tanto tempo sem ver sinalização. Este episódio foi-se repetindo esporadicamente ao longo da prova mas dessas vezes já não voltei atrás... Cheguei aos 18kms e encontro a primeira grande baixa do calor, o Tiago Romão não estava a conseguir comer nada e iria acabar por desistir! Quando passei por ele tinha a noção que estava a entrar perto do top5... E assim foi, estava no top 5(pelo que me disseram no abastecimento) e o ritmo estava a aumentar gradualmente! Pouco tempo depois, numa zona de passagem pelas poldras que dão o nome à prova, vejo o Diogo Baena... 
Travessia das Poldras
Logo a seguir à travessia das poldras inicia-se uma subida relativamente longa e vejo que o Diogo não ia sozinho, ia com o Fernando Gomes de Ferreira do Zêzere! Como me estava a sentir bem, faço grande parte da subida a correr e acabo por passar o duo que ia à minha frente. O Diogo acaba por vir comigo e vamos juntos até ao abastecimento dos 28kms... Aproveitei para tomar sal, hidratar-me bem e quando estamos prestes a sair vem outro atleta de Ferreira do Zêzere que não conhecia e que se junta a nós... Juntar e não só, quando cheguei a um cruzamento, ia eu na frente do grupo e vejo uma fita branca para a direita, viro em direção a ela e esse atleta vê as fitas da organização (brancas com letras pretas) para a esquerda, chama-me e seguimos pelo caminho certo (obrigado companheiro!). Seguia-se uma zona com ligeiramente mais de 2 quilómetros sempre a descer e o Diogo e o João Martins (CAFZ) seguem a um ritmo ligeiramente superior ao meu...  Sabia que a prova acabava ligeiramente a subir e que se conseguisse fazer a diferença seria aí, deixei-me ir no meu ritmo e aos poucos começam a ganhar 50mts, depois 100mts até que os perdi de vista! Cheguei ao último abastecimento e estava a chegar uma viatura com garrafões de água... Não sei se os da frente não apanharam ou se a tinham bebido toda mas na altura também não estava a pensar nisso! Aproveitei para encher pela última vez os flasks, passar por outras poldras e atacar a subida final (conjunto de várias subidas até voltar a Fataunços). Nestes últimos 6kms foi a fase da prova em que passei pior, apesar de ser mais a "minha praia" não estava a conseguir correr a subir e o objetivo de chegar ao duo da frente começou a transformar-se em não perder a posição para quem vinha atrás! Foi com este pensamento que me fui aproximando da meta e o objetivo foi cumprido... 5º lugar numa prova do Campeonato Nacional de Trail! 

Chegada a Fataunços
Apesar de ter sido um ótimo resultado, acaba por ter um trave amargo por ter chegado a andar em 3º mas não ter conseguido lá chegar! Agora resta continuar a treinar para poder atingir esses resultados! No final da prova, senti o corpo mesmo a quebrar e estive deitado durante mais de meia hora a recuperar... Um obrigado à equipa de apoio do Caracol que esteve presente a tentar ajudar na recuperação!

Final da prova, completamente de "rastos"
Após conseguir recuperar o corpo fui até à zona de classificações e percebi que tinha ficado em 3º SenM (não sabia o escalão do João Martins)! Consegui assim o primeiro pódio em provas da ATRP, logo partilhado com o enorme Tiago Aires e com o igualmente enorme Diogo Baena! Agora é trabalhar até Óbidos... Boas corridas a todos!

Comentários

Mensagens populares