16ª Paragem 2016: Finalmente... Vitória!

Trail Noturno da Lagoa de Óbidos

Distância: 29.53kms
Tempo:02:22:43
Classificação Geral: 1º Classificado
Classificação Escalão: 1º Classificado SenM

Apesar de não fazer provas "a sério" à mais de dois anos, vou já na minha sexta participação no Trail Noturno da Lagos de Óbidos. Em 2011 participei na distância de 25 quilómetros tendo passado para a distância de 50 quilómetros no ano seguinte marcando presença até 2015 nessa distância. Este ano, com a inclusão da prova de 30 quilómetros no Circuito Nacional de Trail Running voltei a marcar presença nesta distância. As minha memórias em relação à prova grande estão bastante presentes, lembro-me dos traços gerais da prova, mas da prova pequena não tenho praticamente recordações. Tinha que abordar a prova como se não a conhecesse sabendo apenas que iria passar na Lago de Óbidos durante o percurso.

Desde o Trail das Poldras que o treino não tem sido perfeito, tive duas semanas em que não cumpri com o estipulado (por ter feito anos e por estar de férias), mas na semana que a antecedeu consegui treinar como queria e sentia o corpo muito bem. Embora o treino não fosse como queria, a alimentação e o descanso tinham estado muito perto da perfeição e isso também ajudava a ter o corpo em boas condições! Na sexta feira foi dia de casamento... O primeiro casamento dentro do meu curso onde deu para reencontrar amigos que já não via à algum tempo! Foi um ótimo dia e quando saí da quinta vinha com a minha alma renovada... As condições estavam perfeitas para a prova que teria no dia seguinte! 

No sábado era tempo de preparar tudo para a prova... Falei com o meu pai antes da saída e tentei preparar mentalmente aquilo que me esperava! Preparei todo o material para a prova, fomos buscar a minha namorada e seguimos para Óbidos para nos encontrarmos com a restante equipa... Agora permitam-me fazer um pequeno aparte à minha descrição da prova: O Caracol Trail Team esteve representado nesta prova com elementos que estavam no próprio dia em casamentos, com elementos que já estavam de férias e com elementos que tinham acabado de recuperar de lesão... Nenhum destes tinha obrigação de estar presente na prova e ainda assim todos sem exceção quiseram estar na linha de partida para darem tudo pela equipa! Vocês não são grandes, são enormes, obrigado por pertencerem a esta família! Não vou dizer nomes porque cada um sabe em que grupo se inclui! 

No fim de ouvir o relato do Sporting e de me vestir para a prova estava na altura de ir ouvir o briefing e seguir para a linha de partida... No ano anterior, em que a prova grande fez parte do circuito, a prova teve uma saída muito rápida e pela experiência que ia tendo das provas anteriores do circuito sabia que esta não iria ser diferente! As equipas "da frente" tinham todos os elementos e a distância e altimetria da prova obrigavam a que o ritmo fosse muito elevado desde o início até ao fim da prova, cabia-me a mim aguentar os ritmos impostos!


Últimas palavras antes da prova... Nos próximos dias sai um post sobre esta foto!

Linha de partida momentos antes da contagem para o início da prova


























Após a contagem decrescente feita pelo Luís Nunes, o pelotão saiu pelas ruas de Óbidos durante cerca de um quilómetro a ritmo controlado pela organização até entrarmos no primeiro trilho da prova onde aquilo que tinha previsto se confirmou... Os ritmos baixaram para a zona de 3:30min/km e o pelotão que vinha num aglomerado enorme passou a um grupo reduzido de menos de uma dezena de atletas! Aos 2 quilómetros temos uma passagem por uma ribeira com água até aos tornozelos e por muito que quisesse pensar numa maneira de não molhar os pezinhos o ritmo que ia na frente não o permitia... Em menos de nada o tal grupo já estava a sair da ribeira e eu tinha que fazer o mesmo! Logo após a passagem da ribeira tínhamos a primeira subida da prova... Esta subida era muito semelhante às restantes que iria encontrar ao longo da prova: curtas, com alguma inclinação que obrigavam a ritmos mais reduzidos! Quando acabei esta subida consegui manter-me no grupo da frente e não me sentia "pesado" pelos ritmos que se estavam a meter! Daqui para a frente o grupo era composto por 7 elementos, eu e o Pedro Ribeiro do Caracol, o Vitor Cordeio e o Luís Semedo de Portalegre, o Fernandes Gomes e o Tiago Lousa de Ferreira do Zêzere e o Diogo Baena da Juventude Vidigalense. Desde o quilómetro 2.75 até ao 7.80 o grupo foi-se mantendo constante, sempre a ritmos muito altos e com as lanternas de quem vinha na perseguição a ficarem cada vez mais distantes. No quilómetro 7.8 aconteceu o primeiro grande engano da nossa parte... O percurso mudava da estrada principal para um desvio à esquerda e nós não nos apercebemos da mudança de direção tendo ido até ao cruzamento que se seguia da estrada principal (250metros à frente)! Ao não vermos sinalização percebemos que não estávamos no caminho correto e voltamos para trás... Quando estávamos a 50 metros do tal desvio vemos o grupo que vinha atrás de nós a virar à esquerda, percebemos o nosso erro e seguimos na perseguição a esse grupo. Nessa perseguição os dois elementos de Portalegre seguem na frente, junto com o Gomes e os restantes ficam para trás, pela inclinação do terreno e pela indisponibilidade de um elemento que tinha beneficiado do nosso engano em chegar para o lado! Assim que este elemento se dignou a chegar para o lado, voltamos a seguir na perseguição e no fim da subida fiquei eu, o Diogo e o Tiago Lousa a perseguir os elementos que tinham conseguido fugir. Os ritmos foram sempre muito altos, tentamos sempre estar os três muito atentos às marcações para não nos enganarmos novamente e com tanta adrenalina no sangue parecia que nem sentia o corpo a ficar cansado... Já passavam dos 10 quilómetros quando me lembrei que ainda não tinha tomado o gel e lembrei-me que não tinha visto o primeiro abastecimento! Comentei com eles que não tinha visto e eles disseram o mesmo, de qualquer maneira tomei o gel com a água que me sobrava no flask na esperança de que o abastecimento aparecesse à frente... A verdade é que não apareceu mas felizmente não senti muita falta dele! Passados dois ou três locais onde não encontrámos a sinalização à primeira, seguimos os três em direção à lagoa de Óbidos, local que conheço muito bem das provas que realizei nos anos anteriores! Passados poucos metros vi a luz do abastecimento que costuma estar no fim da Lagoa e percebi que seria ali o abastecimento dos 20 quilómetros. O ritmo ia abaixo de 4min/km e estranhámos não ver o grupo da frente... Só havia duas possibilidades, ou se tinham perdido, ou então iam num ritmo alucinante! Ao chegarmos ao abastecimento volto a encher o flask, tomo sal, dois ou três bocados de melancia e perguntamos quantos já tinham passado... Disseram que éramos os primeiros, ou seja os da frente já se tinham perdido! 


Abastecimento dos 20kms (como não há fotos da nossa passagem tive que aproveitar outra)

De qualquer maneira seguimos o nosso caminho, faltavam menos de 10 quilómetros e não podíamos abrandar o ritmo... Quando já tínhamos deixado definitivamente a lagoa para trás, chegamos a um local onde não encontrávamos marcações e o caminho se dividia em dois, segui eu por um local e o Diogo e o Tiago por outro! Embora os caminhos fossem paralelos, não tínhamos noção de onde um e outro ia dar e passados 100 metros vimos sinalização onde os percurso convergiam! Enquanto procurávamos sinalização o Vitor Cordeiro chegou a nós e o trio passou a quarteto! Assim que encontramos a sinalização seguimos novamente a um ritmo elevado... Quando já faltavam menos de 5 quilómetros para o final e o Vitor e o Tiago Lousa estavam a meter um ritmo ainda mais alto, o Tiago ficou com o lenço e com o frontal preso numa silva e teve que voltar atrás para os apanhar! O ritmo não diminui e quando chegamos à última subida antes da ascenção ao castelo tentei manter o ritmo forte e só seguiu comigo o Diogo... Fizemos a descida seguinte a alta velocidade e chegámos à subida final os dois juntos! Apesar de ser a subir o ritmo ia muito alto e o Vitor não dava sinais de se chegar a nós... Eram os últimos metros e tínhamos que dar tudo por tudo! Entrámos nas muralhas, subimos uma escadaria bastante inclinada e chegamos a um local onde vemos pessoas viradas para a estrada principal (o nosso percurso vinha de uma estrada "secundária")! Dizem que é para a direita, vejo o pórtico do Mundo da Corrida e percebo que aquela é mesmo a reta da meta... Meto o ritmo mais forte que consegui, afinal de contas aquele seria o sprint que definiria quem venceria a prova! Não percebi onde estava o Diogo preocupei-me apenas em dar o meu máximo... Quando chego ao pórtico da ATRP e me esticam a fita percebi que tinha sido mesmo eu a chegar em primeiro lugar! Soltei um "toma" por tudo aquilo que tenho vivido ao longo da época, os momentos bons e os menos bons que convergiram todos naquele segundo em que pude extravasar a minha alegria! Assim que terminei a minha prova fui dar os parabéns ao Diogo e estivemos um grande bocado à conversa! Já agora, Diogo, muitos parabéns pela tua prova, foste enorme! Fomos acompanhando a chegada dos outros atletas e estivemos também a conversar com o Tiago Lousa, que por infelicidade não nos conseguiu acompanhar nos últimos quilómetros, para a próxima corre melhor, campeão! Muitos parabéns aos restantes atletas mas em especial à minha equipa que tão bem deu conta do recado! 

Enquanto esperava que chegasse toda a equipa três momentos ficam marcados na minha memória e me deixam uma lágrima no canto do olho! O sorriso e abraço do meu mano mais velho que assim que soube que eu ganhei veio em direção a mim a lembrar aqueles abraços que demos nas provas que completámos juntos! O abraço do meu ponta de lança Pedro Crispim que festejou comigo como se de uma vitória própria se tratasse e finalmente e mais importante, o salto que o meu pai deu para me abraçar por todos aqueles momentos que passamos terem finalmente culminado numa vitória numa prova deste "calibre"! A vitória não é minha nem nada que se pareça, é do meu pai, que com toda a paciência me vai orientando os treinos, é da minha equipa que me acompanha nos treinos e me faz cada vez melhor, é  da minha família que me acompanha para todas as provas e por último mas não menos importante é da minha namorada que sempre me apoiou incondicionalmente em todas aquelas horas em que passei a correr e não podia estar com ela! Muito obrigado a todos!

Pódio do TNLO



Comentários

Mensagens populares