18ª Paragem: A Meca do Trail - Parte 1

Grande Trail Serra D'Arga - Km Vertical


Distância: 4.08kms

Tempo: 00:35:39
Classificação Geral: 8º Classificado
Classificação Escalão: 5º Classificado SenM


Após o Trail do Sor entrei numa fase de carga de treinos que puxou bastante por mim... Desde Junho que não conseguia ter 6 semanas com média superior a 100kms e embora sentisse o cansaço a "apoderar-se" do corpo sentia também a força a aumentar! Nos treinos na Serra conseguia fazer algumas subidas com muito mais à vontade que fazia anteriormente e nos treinos específicos estava a conseguir fazer igual ou melhor que o planeado. Estava mesmo tudo a correr bem e cheguei à última semana antes da prova com o sentimento de dever cumprido! Estava na altura de começar a retirar carga e descansar para poder estar a 100% no Km Vertical e nos 53kms do Grande Trail da Serra D'Arga.



Há um ano atrás fiquei completamente maravilhado com esta prova... Pela primeira vez desde que corria mais a sério estava num fim de semana completamente dedicado ao trail e fazê-lo naquela que é considerada a Meca do Trail em Portugal foi perfeito! Para esse fim de semana optámos por uma casa que se tornou uma autêntica fortificação do Caracol onde aproveitámos para conviver, para nos alimentarmos para as provas e para descansar, tal como a prova iria exigir! Os resultados desportivos não foram perfeitos, mas o que se passou naqueles três dias foi simplesmente fantástico!


Bandeira hasteada na nossa fortaleza


Este ano, com alguns meses de antecedência, fizemos questão de voltar à mesma casa! Reunimos novamente um número grande de atletas e acompanhantes e voltámos a encher a casa... A meio da tarde de sexta feira reunimo-nos em Torres Novas para seguir viagem para Ponte de Lima, local da Fortaleza Caracol! Quando chegámos encontrámos o Mister que já tinha vindo mais cedo e jantámos pizza para encher as reservas de energia necessárias para o dia seguinte!


Equipa pronta para o Quilómetro Vertical, ainda na nossa fortaleza
Equipa de atletas e de apoio






























Na manhã da prova senti aquilo que torna este fim de semana tão especial... Levantei-me, estive um bocado à conversa com a malta do Caracol, fomos tomar o pequeno almoço já concentrados na prova que se seguiria! Estava tudo "sintonizado na mesma frequência" e isso ajuda muito na motivação! Seguimos para Estorãos, em busca do local de partida do ano anterior e fomos mesmo os primeiros a chegar... Fomos um pouco acima desse local e já estava o Carlos Sá a fazer o percurso a descer. Começaram a aparecer mais atletas que vinham da Nossa Senhora do Minho (local onde a organização propunha plantar árvores, uma bela medida para combater os danos causados pelos incêndios)! Trocámos umas palavras com alguns dos atletas que nos iriam acompanhar na prova até que o Carlos Sá começa a chamar para a linha de partida... Já só faltava um minuto!



10 segundos antes da partida inicia-se uma contagem decrescente para a partida... Quando chegámos ao zero saímos naquela que seria a toada ao longo de 99% do percurso: subir, e muito! Começei na frente e senti um grupo relativamente grande a vir atrás, pelo menos nos primeiro 300 metros; Nessa altura o Bruno Coelho sai do "grupo da frente" com uma ligeira aceleração que foi seguida por um grupo já mais pequeno de atletas! O que se seguiu até terminar o 1º quilómetro de prova foi um acelerar alternado entre os atletas que formavam o tal grupo, nos quais eu também estava incluído. Assim, quando passámos do alcatrão para a zona de "mato" já seguia apenas um grupo de cerca de 7 atletas... Para a frente passaram logo os dois atletas que viriam a ficar nos dois primeiros lugares (Guilherme Lourenço e um atleta da Satecnosol) e seguia eu no que restava do tal grupo... Até cerca de meio quilómetro de mato segui eu na frente, mas quando o meu passo começou a ficar mais curto o Romeu Gouveia e o Luís Malheiro seguiram para a frente! Ainda consegui colar durante uns metros mas já perto dos 2 quilómetros eles seguiram mesmo de vez e quando olhei para trás já vinham dois Satecnosol (incluindo o Bruno) a aproximar-se! Passei de 3º a 5º e com perspectiva de descer para 7º... O quilómetro inicial foi demasiado desgastante, com tanta alteração de ritmo e agora estava a pagar isso caro! Dos 2 aos 3 quilómetros o objetivo passou a ser não descer para o tal 7º lugar mas isso acabou por se tornar impossível e quando os dois homens da Satecnosol "fugiram" de vez, apareceu logo outro atleta do Beira Mar, que vinha de trás e que passou num ritmo tal que não fui capaz de colar! Quando olhei para trás já não vinha mais ninguém e tentei meter um ritmo que sendo forte, não me fizesse desgastar demasiado para Domingo... 

Enorme foto do Miro Cerqueira, quando já estava no 8º lugar
O Pedro Ribeiro da minha equipa ainda se aproximou com outro atleta que acabou por ficar para trás mas o avanço que tinha ainda era significativo e já não deu para chegarmos juntos! Ao fim de 35'39'' (menos 4 que no ano anterior) lá estava eu novamente a cortar a meta, bastante cansado mas com o sentimento de dever cumprido... Tentei andar na frente o máximo que podia... Não deu, foi gerir a prova até ao final, afinal de contas ainda tenho 53 quilómetros no Domingo! 

Os 4 caracóis e o enorme Jorge Serrazina após os 4kms da prova
Agora já de regresso à Fortaleza da nossa equipa é tempo de descansar e aguardar por amanhã... Vai ser uma grande prova! 

Comentários

Mensagens populares