Revista do ano 2015

Kms percorridos: 4201.93kms
Kms percorridos em prova: 984.56kms
Kms percorridos em treino: 3217.363kms
Tempo (provas + treinos): 405:54:11
Nº Provas: 26
Provas +42kms: 11
Provas +49kms: 9
Provas +100kms: 2
Total de pódios individuais: 14 (3º Geral no UTRP, 2º Geral no Trail Trasnfronteiriço de Barrancos e 3º Geral no Ericeira Trail Running)

Após a decisão tomada em Outubro de 2014 de começar a treinar mais a sério para deixar de me arrastar nas provas de trail, 2015 afigurava-se como o ano 1 da minha carreira como atleta de trail running. Os três meses anteriores tinham sido de algum treino, nada muito intenso mas também estava só a começar e era preciso fazer uma melhoria progressiva e ter muito cuidado com as lesões.

Foi assim que no mês de Janeiro me inscrevi para o Cross Laminha... Ia ver como estava o corpo até porque no final do mês de Fevereiro tinha a primeira prova de +100kms com treino da minha vida! A prova correu bem e quando vejo as classificações vejo que obtive o meu primeiro pódio não sendo do escalão sub23. Ainda que o pódio fosse para 5, não deixou de ser motivante obter um pódio num escalão que tinha atletas até aos 29 anos.


Primeiro pódio da época

O treino foi-se intensificando, aproximava-se o Sicó e em Fevereiro vem o teste final para essa prova... O trail do Castelejo, uma prova com 1500mts de D+ em 44kms de distância! Iria fazer metade do desnível da prova de 115kms em menos de metade da distância, era um verdadeiro teste e o corpo tinha que responder! No final, dois sentimentos, felicidade enorme por ter terminado em 8º do escalão, logo atrás do Luís Mota, mas uma preocupação enorme por estar a 15 dias dos 115kms e ter feito uma ligeira torção do tornozelo. Continuei a treinar mas abdiquei do treino longo do fim de semana seguinte, tal como tenho no registo de treinos: "Torci o pé no castelejo e guardei o fim de semana para recuperar totalmente: Aparentemente, resultou!". Quando chegou o momento da partida com o Pedro Ricardo e com o apoio do João Martins e da Sylvie Oliveira e mais tarde com o apoio dos papás, já não me doía o tornozelo e estava com "a pica toda" para enfrentar esta grande, aliás, enorme aventura com o meu mano mais velho! Ao longo de todos aqueles kms senti praticamente tudo o que havia para sentir, e no final, um pódio no meu escalão, sub23M que me deixava muito feliz e muito agradecido às 5 pessoas que falei antes, foram uma parte muito importante da minha subida ao lugar mais alto do pódio.


Pódio nos 115kms do Sicó

Após esta prova seguiram-se mais 5 em 6 fins de semana, foram elas: Manteigas-Penhas Douradas, Barreira, Piodão, Candeeiros e Almoroul! Se nas duas primeiras senti as pernas pesadas como resultado da proximidade com os 100kms, nas outras 3 foi dar tudo o que tinha e não tinha... Era o início da preparação do UTSM e os resultados foram muito positivos! 3 Top 10 e duas vitórias no escalão (Piodão e Almourol). Foi também no Almourol que passei a contar com um grande apoio para o resto da minha época, a Wild passou a apoiar-me na aquisição de material e foi muito graças a eles que consegui ter sempre o material mais adequado para cada prova... Antes de adquirir o material recebi sempre o aconselhamento técnico mais adequado e a acessibilidade foi sempre total, muito obrigado por tudo!! 


Um muito obrigado à WildStore por todo o apoio que me deram!

Maio marcou o principal momento da época, foi o retorno à prova rainha de 2014, o Ultra Trail de S- Mamede, mas desta vez com muito mais treino! Se em 2014 tive a companhia do meu pai ao longo de toda a prova, tendo que lhe dar todo o crédito do meu terminus da prova, este ano saí com o meu mano mais velho com o objetivo de tirar pelo menos 4h ao tempo do ano anterior (tinha feito 18h21'). Desta vez o apoio era feito pelo André Ferreira, mais uma vez uma peça fundamental do nosso sucesso! No final não tinha tirado quatro, mas 5h15' ao tempo do ano anterior e tinha o primeiro lugar do escalão, numa prova onde o segundo lugar me foi acompanhando até aos 60kms, só conseguindo fazer a diferença a partir de Marvão.


Pódio do UTSM do escalão sub23

A recuperação do UTSM foi bastante diferente do Sicó, só voltei à competição 3 semanas depois, na corrida do Mirante, onde voltei a ganhar o meu escalão, tal como em 2014, mas desta vez num lugar bem mais à frente da geral, 5º. Ainda no mês de Junho fui à Reixida, prova onde voltei a fazer um pódio fora do escalão sub23, fiz 2º no escalão SenM (até aos 29 anos). O final do mês foi marcado por uma prova para a qual não fiz uma preparação específica mas que tinha a esperança de fazer uma boa prova, a Corrida das Fogueiras... Queria baixar da hora aos 15kms e apesar de ter parado para ir à casa de banho a meio da prova o objetivo foi conseguido, 57'25'' passando esta a ser a minha melhor marca aos 15kms.

De 27 de Junho até 14 de Agosto fiz apenas duas provas. Pela primeira vez desde a sua edição inicial consegui participar no Trail do Almonda. Apesar de ter acompanhado a sua criação e o desenvolvimento ao longo das seguintes edições nunca consegui estar presente por motivos profissionais. Em 2015 a situação foi diferente, consegui ter disponibilidade para participar e queria fazer "boa figura", estava a jogar em casa e apesar de não andar a treinar muito (Julho foi o segundo mês com menos quilómetros) queria dar o melhor de mim. Ainda deu para o 12º lugar na geral e ganhar o meu escalão. A segunda prova foi o Ultra Trail Noturno da Lagoa de Óbidos, uma prova que fazia pela 5ª vez (4ª enquanto ultra trail já que a 1ª foi de 25kms) e queria melhorar o tempo do ano passado (6h40'). O objetivo foi conseguido por larga margem, fiz 5h52' e numa prova onde praticamente só estavam presentes campeões, fiz um 16º lugar da geral.

1º Lugar sub23 no Trail do Almonda

O dia 15 de Agosto foi um dia marcante para esta época. Pela primeira vez na minha curta carreira de corredor de trail subi ao pódio pela minha classificação Geral. A prova nem começou ao meu jeito, estava sem vontade e o corpo parecia não responder. Apesar de tudo o rendimento foi subindo ao longo da prova mesmo a cabeça não acompanhando o rendimento do corpo. No final um 3º lugar da geral! 

Seguiram-se duas provas mais curtas, os Trilhos dos Moinhos de Penacova e o Trail do Lapedo. No primeiro consegui um "pódio" (os pódios eram até aos 10 primeiros) no escalão de SenM (até aos 39 anos) e no segundo foi apenas "cumprir calendário", uma vez que houve vários problemas na organização e o objetivo passou a ser apenas acabar... No final deu um 10º lugar na geral.

Os dias 25, 26 e 27 de Setembro marcaram um fim de semana como nunca tinha experimentado no trail, um fim de semana dedicado única e exclusivamente ao Grande Trail Serra D'Arga em conjunto com a equipa! Foi um fim de semana muito bem passado, que deixou água na boca para o próximo ano e que mesmo a nível de competição foi proveitosa! Apesar do 12º lugar no Km Vertical e do 25º lugar na classificação geral, aprendi muito e ficou também marcada como sendo uma das mais duras que se faz em Portugal (foi a única prova de 2015 onde senti uma caimbra mesmo daquelas que obriga a parar).

Almoço no centro de estágio do Caracol na Serra D'Arga

Uma semana após a Arga surgiu a última prova do Circuito do Calcário, circuito este proposto no início do ano como um objetivo para a equipa! A vitória coletiva estava assegurada, o 4º lugar da geral também, restava apenas dar o máximo e desfrutar da vitória por equipas. O resultado foi melhor ainda, consegui partilhar o pódio com o meu mano mais velho (4º e 5º da geral) e voltámos a ganhar por equipas na classificação da prova. 


O final do ano trouxe uma série muito positiva de resultados que deixam muita água na boca para 2016! Em Ferreira do Zêzere a prova correu mesmo muito bem tendo ficado juntamente com o Pedro como os primeiros "Outsiders" uma vez que todos os que chegaram à nossa frente já ganharam provas. Em Barrancos consegui um segundo lugar da geral, logo atrás do Vitor Cordeiro... Foi o segundo pódio da geral da época e este um lugar acima do anterior, numa terra onde me senti como se estivesse "em casa" tanto era o pessoal que ia puxando por mim. Três semanas depois, na Ericeira consegui o terceiro pódio do ano, atrás do Rui Luz e do Benek Morais. As sensações foram ótimas, mesmo sendo uma prova com muito pouco desnível consegui manter sempre um ritmo alto. Além disso, a presença do Pedro Crispim e da Mariana Simões foram mais uma vez uma ajuda importantíssima para o meu sucesso! Todas as palavras que possa dirigir aqueles que me foram acompanhando ao longo da época são poucas, parte do meu sucesso vai direitinho para vocês... São grandes, enormes, gigantes!!!

Pódio do Trail Transfronteiriço de Barrancos

Pódio do Ericeira Trail Running

A última prova do ano foi um regresso a uma prova onde no ano anterior tinha marcado o record pessoal aos 10kms. O objetivo inicial da S. Silvestre da Golegã passava apenas por dar o melhor de mim, mas no dia da prova sentia-me muito bem e o objetivo passou a ser bater o tempo de 2015 (36'30''). A prova saiu num ritmo muito, muito alto e no fim, quando passei a meta, os 35'11'' deixaram-me feliz pelo objetivo cumprido mas triste por aqueles 11 segundos que me impediram de baixar dos 35'. Para o ano há mais e quero muito voltar à competição no trail, não esquecendo esporadicamente a estrada!


Final dos 10kms na S. Silvestre da Golegã


Boas corridas para todos!

Comentários

Mensagens populares