Caracol Tech: Suunto Spartan Ultra + Action Cam Firefly 7S

É sabido que para correr duas pernas são suficientes... Basta ir alternando uma perna à frente da outra e se a velocidade for suficiente já estamos a correr! Começamos por umas pequenas corridas, vamos evoluindo e em menos de nada já estamos preocupados com os tempos que estamos a fazer, com as provas em que nos podemos inscrever, começamos a ficar com o bichinho da corrida e começamos a pensar em material para comprar! Primeiro vêm umas boas sapatilhas, depois uns calções adequados às corridas que fazemos, depois um relógio com gps, depois um relógio com gps que calcule a diferença de elevação, depois um relógio com gps e barómetro, depois uma câmara para poder registar em fotografia todos os locais em que passamos e poderia continuar com um sem fim de coisas que já tenho, mas também um sem fim de coisas que quero comprar! Se isto é fundamental para evoluir? Claro que não, mas podem ser boas ferramentas para evoluir e para motivar a continuação dos treinos! 




Os dois "artigos" que vou analisar neste post
Não há dúvidas que este blogue me tem dado oportunidades de experimentar algumas coisas que queria muito experimentar e o Suunto Spartan Ultra e a ActionCam Firefly 7S são bons exemplos disso... O Suunto vem na sequência do meu relógio, o Suunto Ambit 3 Peak, com o qual fiz muitos quilómetros! Queria experimentar este "upgrade" e ver o que me poderia acrescentar aos meus treinos! Falei com o Pedro Trindade e com o José Guimarães para poder experimentar. Dois dias depois estava com o relógio no pulso e a iniciar as configurações para o meu "perfil". Muito obrigado a ambos! A ActionCam já era um desejo antigo... Ver algumas das paisagens mais bonitas nos treinos que faço e não as poder registar, era quase um crime e além disso, como a minha irmã adora multimédia e edição, poderia ser uma oportunidade para entrar num "Mundo" em que o Caracol Apressado ainda não estava, o YouTube. Falei com um dos representantes da GearBest para saber a disponibilidade de câmaras, como que numa pareceria e surgiu a oportunidade de testar esta Firefly 7S. Muito obrigado à GearBest e ao respetivo representante! Vamos então às análises:

 Suunto Spartan Ultra

Antes de avançar para as características técnicas do relógio, houve um ponto que me saltou logo à vista neste relógio! A casualidade do relógio foi um enorme "upgrade" em relação aos modelos anteriores da marca... A "família" Ambit já tinha alguma preocupação em não ser demasiado grande para utilizar no dia a dia, mas mesmo assim não disfarçava o modelo desportivo, podendo comprometer em algumas circunstâncias! Já este modelo, mais fino, com a banda metálica a circundar o relógio, com os ponteiros digitais a imitar os analógicos, dão logo outro aspeto ao relógio, dando inclusivamente para usar em ambientes mais formais.

Agora vou falando das coisas que me fui apercebendo ao longo da sua utilização... A primeira coisa a fazer foi completar o meu perfil para que este possa fazer os cálculos corretos em relação a VO2, a consumo de calorias e mais alguns aspetos técnicos. Para completar estes dados basta ir até às definições > geral > pessoal e completar os dados que são pedidos. É aqui que se nota logo outra capacidade que a família anterior da Suunto não tinha... O touchscreen! A sensibilidade do ecrã não é muito grande e esse é um ponto muito positivo porque no trail os toques no relógio ao agarrar em ramos, ao meter as mãos no solo para fazer um "escalada" são mais que frequentes, evitando assim que haja alterações nos ecrãs. Mais um ponto positivo! 

Em seguida tentei sincronizar o relógio com o telemóvel... Esta é a parte menos positiva da Suunto, ou melhor, era, uma vez que já não tenho um problema de conetividade desde este episódio! Quando se vai conectar o relógio, tem que previamente esquecer o emparelhamento com o relógio anterior. Assim que o fiz, o emparelhamento com o Spartan foi imediato e não tive que ter mais preocupação nenhuma... Como o bluetooth do telemóvel está sempre ligado basta aproximar-me do telemóvel e já estou ligado. Muitas vezes só me lembro disso quando recebo uma mensagem e o relógio vibra e mostra a mensagem (já lá vamos). Apesar de estar ligado, o relógio só inicia a sincronização quando iniciamos a aplicação do telemóvel, o que é bom, para não haver inúmeras tentativas de sincronizar movimentos que não existem... Só me aconteceu três vezes mas fica a dica: ao iniciar a aplicação, ela dizer que já está sincronizada, não iniciando a troca dos moves. Para resolver basta desligar o bluetooth, voltar a ligar e  inicia logo a sincronização. 
Ecrâ de sincronização do Movescount (aplicação da Suunto para sincronizar o relógio com telemóvel)

O ponto que falei das mensagens... Sem dúvida mais um upgrade em relação aos anteriores modelos! Lê muitas das aplicações utilizadas (mensagem, facebook, messenger, instagram... Não lê WhatsApp), ajusta o tamanho da mensagem ao ecrã e se a mensagem ou o comentário no instagram for muito grande, permite andar para baixo para ler a mensagem toda, mais um ponto ótimo para quem gosta de juntar a tecnologia ao treino. 

Notificação de mensagem no relógio
Feita a análise mais "geek" do relógio, vamos às ferramentas de treino nele incorporadas. Primeiro e provavelmente o mais importante... A bateria. Com todas as capacidades no máximo, a autonomia do relógio está estimada em 16h. Nunca fiz um teste total a esta autonomia mas acredito que esteja correta, uma vez que dura para cerca de 4 a 5 dias, sempre ligado ao telemóvel e a treinar todos os dias (o ambit 3 peak durava para uma semana completa e tinha 24h de autonomia). Existem uma série de opções que permitem aumentar a autonomia tais como, a receção de sinal gps com um intervalo superior a 1 seg, desligar do ecrã durante a atividade mantendo o registo do treino, baixar a cor do ecrã, permitindo assim uma autonomia superior para a prova a que nos propomos. 

Opções de poupança de bateria disponíveis antes do treino iniciar

Um dos pontos que estava em falta na versão anterior e que está muito bem conseguida nesta versão é a questão das séries... Com o Spartan Ultra é possível planear as séries, iniciar o treino com o aquecimento que se quiser, quando quisermos iniciamos a parte específica (séries ou rampas), fazer as séries sem termos que nos preocupar com os botões e quando terminamos fazer o retorno à calma à nossa vontade... Ficam aqui as imagens:

Seleção do menú dos exercícios

Seleção do modo de treino pretendido

Menú de início do treino. Arrastar para baixo para ir para as opções

Selecionar a opção Intervalos

Defenir o número de séries e a duração do período (ou distância) de maior intensidade

Definir também o período (ou distância) de recuperação entre os períodos de intensidade

Depois de iniciado o treino, arrastar as páginas para a direita até chegar ao ecrã da imagem e iniciar as séries
Acabei de falar sobre um treino de séries, um treino que se supõe ser mais plano e com pouco desnível, logo, a referência ao desnível acaba por se tornar desnecessária nos ecrãs a mostrar durante o percurso... Já durante um percurso que se prevê de trail, a sua presença faz todo o sentido, estando integrado nos ecrãs do desporto "Trail Running" (esta opção é escolhida onde na foto acima tinha "Running"). A Suunto tomou a liberdade de pré-defenir ecrãs para todos os desportos que o relógio integra e para mim, são ecrãs bastante completos e que vão de encontro ao que todos os atletas normalmente precisam durante a corrida! 

Primeiro ecrã (de 5) que inclui, ritmo, FC, distância e tempo no modo "Running"/"Corrida"

Primeiro ecrã (de 5) com as mesmas características que o anterior mas com o desnível positivo no modo "Trail Running"/"Corrida em montanha"

De qualquer maneira, embora os dados não estejam presentes durante o treino, estes são mostrados na aplicação Movescount após a sincronização com o telemóvel/computador para poderem depois ser analisados. Ainda assim, e para aqueles que gostam de ter tudo "à sua maneira", existe a possibilidade de criar uma configuração de ecrãs totalmente nova! De referir que a altimetria é obtida através do sinal GPS em combinação com o barómetro integrado no relógio para aumentar a precisão dos dados fornecidos. 

Após concluir o treino, o relógio "faz" uma pergunta que para muitos pode parecer uma brincadeira mas que é uma ferramenta muito útil para quem gosta de treinar por sensações, como já alguns dos atletas do pelotão nacional fazem, podendo assim agendar as próximas sessões. O ecrã das sensações aparece antes do resumo do treino e fica depois registado no treino que aparece na aplicação Movescount.



Para finalizar, falar de um ponto que para mim continua a ser fundamental... A Frequência Cardíaca (FC) medida no peito. Posso ser muito teimoso mas contínuo a achar mais precisa a medição no peito que no pulso e como tal, gostei e muito que a Suunto a mantivesse na versão Spartan. O movesense é igual ao que eu tinha com o Ambit 3 Peak e habituei-me muito bem a ele! Se começar a falhar, provavelmente o problema é da pilha, é só comprar uma nova, trocar e está resolvido. Sei que a tendência da medição da FC é ser feita no pulso, e aceito que seja muito melhor para o atleta uma vez que tem mais uma funcionalidade sem precisar de uma ferramenta extra (a banda) mas por enquanto vou utilizando a banda movesense e estou bastante satisfeito.

Sensor Movesense, pequeno e leve, mal se dá conta dele enquanto se corre

Notas finais em relação ao Suunto Spartan Ultra: Um relógio muito moderno, com ótimas capacidades para análise de treino e que dá todas as informações necessárias durante a prova. É leve, versátil e com uma banda de FC dentro do mesmo âmbito, é um relógio perfeito para quem pratique Trail Running! Caso precise de bateria para mais das 16H prometidas pela marca, basta alterar as definições para ter bateria mais tempo, ou se precisar mesmo de mais de 24H pode sempre optar por utilizar um powerbank para carregar o relógio durante a prova. A aplicação do Movescount tem um perfil muito moderno e permite obter todas as informações dos treinos, podendo escolher um treino ou um período de treinos para analisar com o auxílio de dados em bruto, de gráficos ou mapas.

ActionCam Firefly 7S

Já há muito tempo que queria uma ActionCam. Toda a gente tem memórias de alguns dos sítios mais bonitos por onde passou, umas memórias através de fotografias fornecidas pelas organizações das provas, outras apenas da memória que aos poucos e com tanto local de passagem, acabam por se ir esvaindo das nossas recordações. Como tal queria uma câmera que pudesse transportar comigo para alguns treinos e que permitisse ao mesmo tempo tirar fotos de qualidade e filmar alguns dos troços que ia percorrendo. Assim vou explicar as primeiras coisas a compreender na câmera, mostrar alguns resultados de experiências e por fim mostrar o leque de acessórios que vem dentro da embalagem da câmera. 

Externamente há seis componentes que importam para o utilizador:

1 - O botão On/Off que também funciona como menu e como voltar atrás.

2 - Ecrã frontal para ver as principais componentes do modo selecionado

3 - Lente

Botão On/Off no canto inferior esquerdo, Ecrã frontal no canto superior esquerdo e lente no canto superior direito

4 - O botão do obturador, que também funciona como selecionador.

Botão do obturador na parte superior da camêra

5 - Botões de navegação laterais, que também servem de botão de definições.

Botões de navegação do lado direito da câmera

6 - Ecrã Principal

Ecrã principal

Em relação às características técnicas, permite tirar fotografias com 12M, tirar fotos com temporizador e configurar uma série de definições que vão determinar quanto espaço ocupam e os efeitos especiais sobre as fotos. A minha experiência pessoal é ótima, tenho várias fotografias com muita qualidade e que me permitiram tirar fotos sem ter que carregar um máquina fotográfica comigo. Aqui ficam alguns exemplos, com a máxima qualidade da câmera (como tem cartão de memória não tenho necessidade de tirar com menor qualidade):

Torre de rappel, S. Jacinto


Foto com a caixa estanque debaixo de água

Vale Garcia, Serra D'Aire 
Barragem do Rio da Mula, Sintra



Peninha, Sintra
Em relação aos vídeos, a Firefly7S permite fazer ótimos vídeos tendo apenas um defeito que é comum à maioria das câmeras "lowcost", o estabilizador integrado não é tão eficaz como gostaria. Ainda assim se o vídeo for filmado por uma pessoa que esteja quieta ou que faça os movimentos com pouca oxilação, os vídeos ficam praticamente perfeitos. As possibilidades de resolução são 1080P (60FPS); 1440P (30FPS); 2.5K (30FPS); 2160P (24FPS). Também existem outras possibilidades com menos capacidade mas eu pessoalmente prefiro utilizar os 1080P com 60 Frames por Segundo até porque os vídeos são na sua maioria editados e os 60FPS têm-me garantido qualidade nos trabalhos finais que tenho feito. Aqui ficam alguns exemplos de vídeos feitos e uma montagem feita para o youtube:


Este vídeo foi feito na serra D'Aire, durante a subida do Vale Garcia. Era eu próprio que ia a filmar, daí ter muitos movimentos "parasitas".



Este vídeo foi feito no topo da Torre de Rappel de S. Jacinto, filmando a 360º, com movimentos lentos, garantindo assim uma boa filmagem.



Este vídeo foi feito na Serra De Sintra. Originalmente em velocidade normal e posteriormente editado em slow motion para o instagram, não perdeu qualidade.



Este foi o último vídeo editado pela minha irmã na prova das 24H de Portugal... Tem vídeos em time lapse (a câmara parada sempre a gravar e o vídeo fica automaticamente acelerado nessas filmagens, vídeos em que a minha irmã estava parada e eu a correr, em que a minha irmã estava a andar e sempre sem perder qualidade.


Outra das possibilidades da Firefly7S é a de tirar várias fotos dentro do mesmo segundo. Esta é a opção "Burst" no menu inicial. Este modo é bom para captar momentos de movimentos muito rápidos como por exemplo, mergulhar para uma piscina... A seguir está um vídeo meu com as várias fotos que tirei nesse modo:


Para finalizar deixo-vos uma foto de todos os acessórios que vêm com a Action Cam... São mesmo muitos e com utilidades diversas, para ser sincero, ainda só precisei de utilizar dois e foi para fazer de "base" para as filmagens não ficarem tremidas.


Últimas notas em relação à Firefly7S... Uma câmera leve, de fácil utilização e com ótimas características técnicas que permite tirar muito boas fotografias e fazer vídeos com muita qualidade. É verdade que o estabilizador não é o melhor mas para o preço que tem, é uma das melhores opções, se não a melhor! O leque de acessórios é mais um dos pontos a favor que nos permite poupar muito dinheiro.

Espero que tenham gostado destas duas reviews e se tiverem alguma questão, façam favor de perguntar, ajudo em tudo o que puder. 

Comentários

Mensagens populares