Ídolos: As referências com que cresci!

A minha vida evoluiu em torno do desporto... Sempre fui um franco adepto de várias modalidades e se me sentar no sofá a ver qualquer uma que conheça as regras, ginástica incluída, gosto de a ver e apreciar a maneira como cada individuo dá o melhor de si para se tornar o melhor atleta!

Uma das minhas maiores referências nacionais!

Cresci a ver o Lance Armstrong, digam-me o que disserem, este homem continua ser uma lenda para mim! Foram horas e horas a ver este senhor pedalar montanha acima, sempre com um ou dois ciclistas e se ele fosse o melhor, dava tudo para chegar isolado... Se naquele dia o companheiro estava mais forte que ele, não tinha problemas em chegar à meta em conjunto e quem estava mais forte, ganhava! Isto para mim é a essência do desporto!

Cresci a ver o Phelps... Durante muito tempo o melhor de sempre na natação, já ninguém era capaz de o bater e onde se metia, ganhava! Era um dos melhores desportistas de sempre e ainda assim, teve uma recaída! Foi abaixo psicologicamente e quase bateu no fundo, mas tal como disse um dia a Joana Solnado: "Batemos no fundo e depois está lá um trampolim". Foi exatamente isto que aconteceu ao Phelps e ainda hoje é para mim uma referência por esta ascenção que teve na sua vida, após uma fase "trágica"! Honestamente, este senhor e o Armstrong são as minhas duas referências no desporto, mas mesmo querendo ignorar a história de doping do Armstrong, o Michael Phelps é para mim o exemplo máximo de um desportista! Se quiserem saber mais sobre este "regresso" vejam este documentário no youtube (já o vi pelo menos vinte vezes):



Cresci a ver o Kenenise Bekele... Era nos Mundiais de Corta Mato, em Pista, em todo o lado! Este senhor metia tudo o que tinha naquelas provas e invariavelmente era o primeiro. E a melhor parte deste senhor era mesmo a maneira de correr... Não se limitava a atacar no fim, corria muitas vezes no limite e isso valeu-lhe ter 4 nos 6 melhores tempos de sempre aos 10000 metros e dois dos quatro melhores tempos de sempre aos 5000 metros, sendo que os records são ainda dele e já levam mais de 10 anos.

Mas não só em exemplos estrangeiros estão as minhas referências: 

Cresci a ver a Vanessa Fernandes... Via praticamente as provas todas que eram transmitidas, discutia com o meu pai os vários segmentos das provas e analisávamos as adversárias para ver como iria correr a prova à Vanessa! Era e é um exemplo enorme do querer, da vontade de vencer e ser a melhor! Ainda hoje me dá gosto vê-la a correr... Embora não tenha o sucesso que teve o Phelps, continua a ser uma referência por tudo o que já deu ao Triatlo e ao desporto português e por mesmo depois de ter passado por uma má fase, ter decidido voltar ao Mundo do desporto, pronta a ser a melhor! 

Cresci a ver o Rui Silva... Um bom atleta, sem dúvida, mas um outsider no que aos jogos olímpicos diz respeito! Ainda assim, soube gerir a prova de maneira perfeita e tornou-se assim mais um medalhado olímpico na história do atletismo português! Vi a corrida e foi com um orgulho enorme que vi a bandeira portuguesa subir ao pódio em mais uma edição dos Jogos Olímpicos!

Cresci a ver o José Azevedo... Um senhor desconhecido por muitos, não tem nenhuma vitória de relevo mas ainda assim, um dos homens fortes de Lance Armstrong! Onde andava um, estava o outro... Um homem de muito trabalho que nunca deixava o seu líder e que era visto por todos os elementos da equipa como indispensável! Mesmo não passando de "gregário" (nome dado aos homens que trabalham para o chefe de fila no ciclismo), conseguiu ainda um 5º e 6º lugar na Volta a França! Um exemplo de trabalho, dedicação e de lealdade!

Por fim e não menos importantes, dois exemplos torrejanos que provam que mesmo de uma pequena terrinha como Torres Novas, podem sair alguns dos melhores atletas nacionais! Estes dois treinaram com o meu pai e já tive o prazer de privar com eles: Paulo Antunes e João Ferreira, campeões nacionais de Triatlo! São muitas as histórias que já ouvi de ambos e sou capaz de passar horas a ouvir mais e absorver tudo o que o Gonçalo Neves e o meu pai têm para me contar! 

É óbvio que isto poderia ser uma lista facilmente ampliável, basta começar a falar dos exemplos mais recentes que tenho ou focar-me apenas no trail internacional ou até mesmo só no nacional e rapidamente teria uma lista com a mesma quantidade de nomes mas estas são mesmo as referências com que cresci e são aquelas que certamente me irão acompanhar toda a vida e carreira desportiva! Se tiverem mais exemplos, estejam à vontade para escrever na caixa de comentários! 

Comentários

Mensagens populares