Carta Aberta aos Heróis do UTMB

Já perdi a quantidade de vezes que começei a chorar à frente do computador! Chorei a ver o Francisco Freitas a chegar perante toda aquela receção em Chamonix, chorei a ver o "acompanhamento" do Mario Elson à Liliana, chorei ao saber que o Mestre Natividade tinha desistido e agora por último chorei ao ver o acompanhamento que o Joel Simões está a ter no facebook por parte de todos os amigos dele! E foi precisamente nesta última vez que este post me surgiu na cabeça... É que do primeiro classificado aos desistentes, passando pelo último, todos são heróis no que toca à aventura que se chama Ultra Trail do Mont Blanc. Aqui vai a carta: 

Caros campeões,

Espero que saibam que estão a concretizar um sonho! Um sonho que é meu, que é vosso, que é da maior parte dos atletas de Trail Running do Mundo! A vossa presença na linha de partida no Ultra Trail do Mont Blanc é um feito que, para começar, não está ao alcance de todos e por isso, os meus parabéns!

Toda a prova tem uma mística especial, desde a inscrição por sorteio (capaz de provocar indisposições e "borboletas" até ver se o nome está na lista final) até ao momento da chegada onde existem pessoas durante mais de uma centena de metros a aplaudir um final de 170kms com muitas histórias para contar! Pelo meio, milhares de atletas vão percorrendo os trilhos circundantes do Mont Blanc (o ponto de cota mais alto da Europa Ocidental), tendo os portugueses papel de destaque no meio de todos estes atletas! Quando falo em destaque podia falar de classifcações, temos mais que motivos para nos orgulhar das prestações dos nossos atletas mas há tanta coisa positiva a juntar aos resultados que vi-me forçado a escrever esta carta, para destacar tudo aquilo que sai fora da prova mas que tem um importância vital para o sucesso de todos os que por lá passam! 

Em primeiro lugar uma palavra de ânimo! Foram vários os portugueses vencidos pela montanha, vários os portugueses que mesmo depois de uma preparação extraordinária se viram forçados a abandonar tais como o Guilherme Lourenço, o Armando Teixeira e o Mestre Natividade! Todos vocês dispensam bem apresentações, são uma referência nacional e internacional, todos vocês são para mim em específico um modelo a seguir e até neste campo o demonstram... Nem sempre pode correr como queremos e temos que ser inteligentes o suficiente para parar quando devemos! Parabéns pela vossa demonstração de vontade e que voltem bem e rápido para nos cruzarmos pelos trilhos de Portugal! 

Em segundo lugar não uma palavra mas um gesto, uma homenagem! Antes da partida para o OCC dei os parabéns e agradeci ao Mário Elson pelo exemplo que demonstrou ao estar fechado entre 4 muros durante 6 meses, com um circuito muito curto lá dentro e mesmo assim ter mantido os treinos e a vontade de ser melhor a cada dia que passa! Mas esse agradecimento já lá vai e agora tenho que passar para outra área... A Liliana, que eu não conheço pessoalmente, lançou-se no desafio de terminar as 100 Milhas e o Mario, um dos melhores atletas nacionais, lançou-se no desafio de a acompanhar ao longo de mais de 40H de prova! Eu já fiz algumas provas longas e posso dizer que ter alguém connosco para mandar uma piada, para preparar os abastecimentos ou para chamar à razão quando tem que ser é parte fundamental para se completar tão árdua tarefa! Se para se ser um atleta de categoria é preciso um "super" Mário, para se ter uma atitude tão humilde e altroísta atitude é preciso um super, hiper, mega Mário! A minha homenagem sentida aos dois e também para todos os elementos que não tendo corrido ou tendo corrido as provas mais curtas, se tenham predisposto a acompanhar os atletas que enfrentaram os 170kms!

Em terceiro lugar uma palavra de agradecimento e esta vai direta para o Joel Simões! Por sermos os dois da zona centro, acabei por seguir os passos do Joel e sei bem o quanto ele se dedicou a esta causa, o quanto treinou para estar suficientemente preparado para alinhar na partida em Chamonix... A prova começou bem, parece-me mas a meio uma quebra ia deitando tudo a perder, as dores eram muitas e nem o estômago ajudou! Mas é nestes momentos que se sobressai a vontade e o querer e nisso, o Joel foi um verdadeiro exemplo! Parabéns Joel e parabéns a todos os que como tu, conseguiram superar todas as dificuldades e concluíram esta enorme aventura! 

Por fim, uma palavra de parabéns, ou melhor, quatro! Deixa-me com um orgulho enorme saber que temos quatro portugueses no top 100 de uma das provas mais importantes do Mundo! Mesmo com tanta falta de apoios em Portugal, continuamos a ter gente disponível para investir tempo, dinheiro e "vida" para culminar entre os melhores do Mundo! Vocês são um autêntico exemplo no que à dedicação, esforço e vontade diz respeito! Enfrentaram todas as dificuldades da prova, tiveram a ousadia de se intrometer no meio dos melhores do Mundo e no fim colheram os frutos de todo o vosso trabalho! Parabéns pelo vosso feito e obrigado pela demonstração que deram a todos os portugueses que com trabalho, tudo é possível! 

Aventura cumprida pelos heróis portugueses!

Resta-me continuar a acompanhar a chegada dos portugueses pelo incansável Orlando Duarte que durante uma semana a descansar muito pouco, foi mantendo os portugueses a par de tudo o que se passava no Ultra Trail do Mont Blanc! Um bem hajas, Orlando, o teu trabalho é no mínimo, excecional! 

A mim, resta-me continuar a trabalhar para poder acabar com a espinha atravessada na garganta que se chama MIUT e depois então, já com mais experiência nestas pernas, poder pensar em aventuras maiores! Mais uma vez parabéns aos "heróis" de Chamonix e bons treinos para os que ficaram neste pequeno retângulo à beira mar plantado! 

Comentários

  1. Olá, Tiago
    Gostei do que li. Foi claramente um texto escrito com o coração, mas com toda a razão!

    Para mim - alguns não gostam dela porque dizem ser muito "comercial" - esta prova é a Rainha do Trail mundial. Não só pelas razões técnicas e desportivas, mas também pelos momentos e histórias de vida incríveis quer antes, durante e depois da sua realização, que por lá passam!

    Foram dez anos consecutivos a viver esta(s) prova(s) intensamente quase ao minuto e todos anos há histórias lindas como aquelas acabaste de salientar, por exemplo, mas também há o caso do Sérgio Moreira, diabético insulinodependente que foi Finalista. Acabei agora de acompanhar em directo a chegada do Romão, que se lesionou há uns meses e que muito sofreu para estar naquela arrepiante partida, mas sobretudo naquela, por vezes dolorosa, mas muito saborosa chegada! E por aí fora...

    Na parte que me toca, agradeço o teu reconhecimento, mas é por pura paixão e imenso prazer que esta semana me dá que faço o que faço. Se fosse à espera de alguns louros já tinha parado há muito tempo. Alguns merecem o que faço outros nem tanto... enquanto sentir o que sinto agora, por cá continuarei. Aliás, o Tour des Giantes está aí à porta!...

    Forte Abraço e obrigado!

    Orlando Duarte

    ResponderEliminar
  2. Viva esperas um dia fazer as 100 milhas utmb ou achas que não vale o sacrifício? Prova muito comercial devia ser mais complicado obter pontos. Para mim muito complicado aparecer na partida pelos vistos a culpa é do sorteio ou não. Abraço

    ResponderEliminar
  3. Bom texto! Realmente, não há nada como o UTMB. Como já disse várias vezes, a prova correu-me mal, não estava ainda preparado para aquilo, sofri a bem sofrer a partir dos 80km (um bocado como o Joel!), mas não me arrependo nem um segundo. Foi a experiencia mais intensa por que passei. Hoje em dia de tempos a tempos ainda vou ler o que escrevi na altura e consigo lá voltar e emocionar-me outra vez. Não sei se alguma vez vou voltar, é confusão a mais, mas sem dúvida que há uma vida pré e pós UTMB. Desejo que um dia esteja nos teus objectivos para poder acompanhar mais um amigo por aqueles trilhos majestosos. Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Grande relato! Sem dúvida uma carta sentida aos nossos campeões de 2018. Bem haja Tiago!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares