#CaracolNaMadeira - Parte 4 (Março 2018)

Sabes que o teu grande objetivo se está a aproximar quando o teu tema de conversa lá vai invariavelmente parar... É assim nos treinos, lá em casa e até no trabalho, acabo por ir sempre até à Madeira e na semana que vou por lá passar. A questão é que quanto mais perto estou, mais preparado me sinto e mais nervoso fico! Não é propriamente um nervoso negativo, é só aquela vontade enorme de estar na linha de partida e partir para o que espero ser a melhor prova da minha vida.


Março foi o mês que menos saiu de acordo com o planeado... Ou pelo menos o fim do mês. Tinha tudo planeado para ir ao Marão testar o corpo, mas não foi possível por motivos profissionais. Ainda assim, a "porrada" não podia ficar por dar e consegui na semana imediatamente a seguir (aquela que termina hoje) fazer uma das melhores semanas de sempre da minha vida! Foi de tal maneira produtiva que, analisando os números, ombreou em alguns aspetos com os restantes meses do ano e até os superou em alguns, mas já lá vamos. Apesar de não ter conseguido ir ao Marão, a Taça de Portugal de Ultra Trail serviu também como um teste intermédio, restando agora uma prova para finalizar a minha preparação para o MIUT. Vamos agora aos pontos altos do mês, como que um resumo e no final deixo os planos para o mês de Abril:


  • 2 Provas - Cork Trail e Taça de Portugal de Ultra Trail - Proença
A primeira foi uma prova muito rápida, onde não se podia abusar nos ritmos, correndo o risco de pagar a fatura na semana seguinte. Aproveitei para esticar as pernas e ver quais seriam as sensações. Acabei por me sair melhor do que o esperado e terminei em 3º lugar da classificação geral atrás do Luís Fernandes e do Nuno Rocha. A segunda prova foi tal como disse no último resumo que fiz, a melhor prova de sempre! Com um início sem conseguir acompanhar o grupo da frente mas com uma prova muito certinha a partir de meio, fui recuperando lugares atrás de lugares até chegar ao 6º classificado. Se não estou ainda onde quero, estou pelo menos bem mais perto.

Primeira prova do mês, em Coruche

  • Diversificar as Serras
O plano era ir ao Marão, conhecer uma serra onde nunca tinha ido, e queria também ir a uma das serras com maiores desníveis de Portugal, o que na realidade significava a Serra da Estrela. Uma vez que se tornou impossível concretizar qualquer uma das duas, acabei por intensificar bastante os treinos na "minha" Serra D'Aire. Mas mesmo não tendo "fugido" como queria, acabei por ir fazer também uma sessão de treino a Montejunto... Uma serra onde já tinha competido por duas vezes mas onde nunca tinha treinado. Aproveitei uma das subidas que conhecia com o Pedro Ribeiro para fazer um treino intenso e já muito parecido com o que encontraremos na Madeira... Uma boa surpresa.

Zona mais alta da Serra de Montejunto... A meteorologia não estava muito propícia a fotos.

  • Objetivos intermédios
Tinha posto como objetivo intermédio a Taça de Ultra Trail e apesar de ter ainda uma prova pela frente, acaba por ser mais uma prova pessoal, onde quero mais ver quais as sensações que tenho do que propriamente com a competição que andará pelos trilhos da Gardunha. A nível social tinha posto o objetivo dos 1000 likes na página do facebook e esse foi largamente ultrapassado, faltando ainda os 1000 seguidores no instagram, mas apesar de não estar sequer perto, o perfil tem evoluído favoravelmente e tenho cada vez mais gente a "juntar-se" a mim nas aventuras do dia a dia.

Presença assegurada nos Ultra Trilhos da Gardunha
  • Dados estatísticos
Tal como disse no início do post, apesar dos contra tempos que fui tendo mais para o final do mês, consegui ombrear a nível estatístico com os dois anteriores. A nível de quilómetros, este foi um mês intermédio, o que acaba por ser normal, uma vez que em Janeiro só falhei um treino e Fevereiro tem menos dias... Já em termos de desnível, foi o meu melhor mês de sempre (exceção feita, claro, ao mês do EGT 2017). Consegui a minha semana com mais desnível de sempre sem provas e a semana com mais quilómetros de sempre sem prova, tudo na mesma semana. Além da parte da corrida, em Fevereiro a preguiça tomou conta de mim e não fiz o reforço que deveria ter feito, mas em Março já recomeçei e, embora devagar, já voltei a fazer os meus treinos semanais. 


Resumindo, o mês de Março tinha todo o potencial para ser um mês "menos" no que à preparação diz respeito... Vários fatores seriam uma boa desculpa para abrandar os treinos e deixar o corpo andar à sua vontade. A verdade é que consegui focar-me completamente nos meus objetivos e não tem sido qualquer desculpa que me tem demovido de treinar! Agora é esperar que todo este esforço e dedicação dêem os seus frutos no dia 28 de Abril. 

Comentários

Mensagens populares