Road To MIUT: Completamente apaixonado pela Madeira!

Passadas as aventuras de Porto Santo, chegámos no dia 25 de Abril à noite ao Funchal... A partir desse momento, tudo o que possa aqui dizer é resultado de um deslumbramento enorme pela Ilha da Madeira, um cantinho do Mundo que não conhecia mas onde terei garantidamente que voltar para visitar com mais calma! 

Quando chegámos fomos diretamente para o nosso alojamento, uma casa de "amigos" que serviria de base para a nossa equipa. Dada a hora tardia do dia, fomos jantar e descansar logo de seguida. 

26 de Abril - A véspera da véspera da prova

Os planos para este dia eram simples: aproveitar o tempo para passear! A véspera da prova obrigava a um descanso extra e embora a ilha não seja muito grande, tínhamos muito para visitar... Para quinta feira pensámos em visitar Machico, Santana e o Pico do Areeiro. À saída para Machico começámos a ter a noção do que seria a prova... À nossa esquerda começavam a aparecer grandes elevações (ou pelo menos assim parecia) e o mar à nossa direita deixava uma paisagem extraordinária que demonstrava qual seria a vista final da prova! Assim que chegámos ao Machico, fomos levantar dorsais, uma logística enorme, muito bem preparada para que todos os atletas recebessem o material necessário e para que todos os documentos fossem entregues pelos próprios atletas... A fila era relativamente grande, mas o número de voluntários era bastante elevado e o ciclo do "check in" era bastante fluído. O final do processo culminava com a passagem na tenda do marketing... Presença de algumas marcas como a berg, a compressport, a goldnutrition e uma loja local com representação de algumas das principais marcas de trail running. 


Após o almoço, seguimos para Santana, fazer uma breve visita às casas tradicionais da Madeira e tirar umas fotografias:

Comitiva do Caracol numa das casas de Santana
A parte turística do dia estava despachada e agora era altura de começar a perceber aquilo que nos esperava... Voltámos em direção a Machico e sensivelmente a meio do caminho, começámos a subida até ao Pico do Areeiro! É exatamente neste ponto que começo a perder a vontade de falar e começo a ver naquilo em que estava metido... Inclinações enormes, subidas sem fim e uma beleza natural única! 

O vídeo anterior mostra a paisagem logo na fase inicial da subida até ao Pico do Areeiro... Quando já levávamos 10' de subida, reparamos numa das localidades que apanhamos, Ribeiro Frio: Local de um dos abastecimentos de 2017 mas que em 2018 servirá apenas como ponto de passagem... Aproveitámos para ver o local: inicialmente vimos o viveiro de trutas (atração turística do local) e posteriormente fomos até ao local de passagem dos atletas! O Pedro aproveitou para explicar como seria aquela zona da prova: após passagem nos Picos, fazemos a descida até ao Ribeiro Frio e iniciamos aí a subida até ao Poiso. O primeiro reconhecimento estava feito e agora era altura de seguirmos viagem. Passagem rápida pelo Poiso, local do último abastecimento acima dos 1000mts de altitude e seguimos até ao ponto mais alto da prova (1818mts), o Pico do Areeiro... 

Levada em Ribeiro Frio
Disse ontem no instagram que não conseguia descrever a sensação de estar naquele local, que era tudo demasiado grande para se poder descrever, mas vou tentar explicar-vos o que me veio à cabeça: Nunca estive num local assim! Vales profundíssimos, uma envolvente montanhosa enorme, um pedaço de terra que tirando o café mesmo no ponto mais alto ainda não foi tocado pelo homem... Um local perto de perfeito para o Trail!
Era de tal maneira perfeito que só tinha vontade de iniciar a prova ali mesmo... É bem provável que quando lá passar amanhã não chegue com a mesma vontade mas naquele momento só me apetecia correr e desfrutar daqueles trilhos magníficos! Tirei uma quantidade enorme de fotos e vou guardá-las com todo o carinho... Posso dizer que foi naquele local que fiquei completamente apaixonado pela Madeira! 

Chegada ao Pico do Areeiro
Depois de passear no Pico do Areeiro era altura de regressar a casa... Um pequeno problema com o carro ultrapassado e já na base do Caracol Trail Team era altura de fazer os últimos planeamentos para os acompanhantes e de preparar todo o material para os atletas! Foi aqui também que vimos quais seriam as possíveis maneiras de acompanhar os atletas e para que todos o possam fazer, aqui ficam os dois meios mais práticos:

Telegram (aplicação Android e Apple disponível nas respetivas lojas) > Após instalação efetuar as configurações pedidas pela app > Quando está pronto a ser utilizado, procurar na lupa do canto superior direito miutbot > Clicar em Iniciar na barra inferior > Seguir a lista de comando (por exemplo, para receber notificações de passagem de um atleta nos abastecimentos, enviar mensagem com /f129)
Apus (site) - Neste momento já está tudo pronto para o início da prova, podendo acompanhar as passagens dos atletas nos postos de abastecimento no separador "Passagens". 

A partir do momento em que chegámos a casa entrei em modo "prova". O meu objetivo foi descansar ao máximo para no momento da partida estar no meu melhor... Passei a noite em casa e durante a manhã demos apenas uma volta no Mercado dos Lavradores, um mercado típico do Funchal e almoçámos ali na zona tendo voltado logo a casa. Agora, que chegue rapidamente a meia noite e que arranque para a maior aventura da minha vida! Como se diz no filme Hunger Games: "May the odds be ever in your favor"
Boa prova a todos os atletas! 

Comentários

  1. Boa noite!
    Desde já desejo-lhe a maior das sortes para esta prova, além da classificação espero que chegue ao final sem qualquer problema. Pois tenho vindo a acompanhar a sua preparação e investiu muito tempo e sacrifício pessoal para fazer esta prova.
    Para si e para toda a equipa Caracol Trail Team Boa Sorte!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares