Dias mágicos! O "meu" Fim de Semana do Trail!

Antes de começar a falar sobre o post em si, queria definir-vos o que é para mim um Fim de Semana do Trail. A definição é muito simples, e tem três pressupostos:

1 - Ter pelo menos dois dias;
2 - Envolve pelo menos 5H a correr;
3 - Uma envolvência de Trail muito superior ao fim de semana normal.

A partir destes três pressupostos podemos partir para um sem fim de possibilidades que nos fazem apaixonar cada vez mais por este desporto... Vou-vos dar dois exemplos concretos de Fins de Semana mágicos relacionados com o Trail e depois passar a falar em alguns que tenho em mente e que quero muito concretizar em 2018.

Grande Trail Serra d'Arga

Já por várias vezes descrevi esta prova como sendo a "Meca" do trail! É incrível o ambiente que se vive naquelas terras, a maneira como a população acarinha o evento, a maneira como a organização prepara os trilhos e a maneira como os próprios atletas encaram estes desafios... Já levo 3 edições e em duas delas posso dizer que vivi um fim de semana de sonho! A agenda foi qualquer coisa assim:

Sexta Feira:
Sair de Torres Novas e ir direto para Ponte de Lima; 
Levantar dorsais e seguir para uma casa que alojava toda a equipa; 
Organizar tudo, preparar jantar (atletas dispensados desta parte), jantar e conviver, falar de experiências passadas e rir com agrado dos erros cometidos anteriormente; 
Seguir para os quartos e descansar.

Equipa no "Centro de Estágio" para Arga

Sábado:
Seguir para o Km vertical; 
Fazer uma das provas mais exigentes fisicamente;
Aguardar por toda a equipa e tirar fotos brutais no alto da Senhora do Minho;
Regressar a casa, tomar um banho na piscina, preparar almoço e jantar... Mais convívio!
Preparar a prova do dia seguinte;
Seguir para os quartos e descansar.

Descanso pós Km Vertical em 2015

Domingo:
Observar todos os rituais matinais de toda a equipa;
Tomar o pequeno almoço e observar a concentração e a cara de medo que vai surgindo em todas as caras;
Seguir para Dem, onde se dá a partida da prova Ultra! Dar o melhor que temos numa das provas mais competitivas, mais bonitas e com um percurso mais duro do país;
Terminar a prova com a sensação de dever cumprido! 
Arrumar tudo e regressar a casa! 

São três dias que passam completamente a correr... No final ficamos com recordações e aprendizagens que ficam para a vida! Vivemos o Trail como nunca antes, partilhamos opiniões e experiências que nos vão servir mais tarde, passamos por zonas do mais belo que existe e brilhantemente fotografadas pelos bons fotógrafos que há no nosso país e no nosso desporto e acima de tudo, divertimo-nos como não conseguimos fazer quando vamos "apenas" aquelas horas para a Serra treinar! 

Em 2017 a agenda da prova mudou, o Km vertical foi realizado uns meses mais cedo e a prova de Ultra passou para sábado. Acabei por não participar na prova de Ponte de Lima mas não foi por isso que não deixou de ser uma enorme aventura: Sair na sexta com dois rapazes da minha equipa, o Pedro Ricardo e o Pedro Crispim, chegar a Dem praticamente sem condições para competir (23ª Paragem 2017: Que saudades que eu tinha da "minha" Serra D'Arga!) mas mesmo assim fomos à luta e desfrutámos da prova com as condições que tínhamos! Este ano o formato voltou a alterar, na minha opinião para o formato perfeito: Sexta quilómetro vertical, sábado prova de Ultra! Se tudo correr conforme planeado, lá estarei para uma festa do Trail épica!

Estrela Grande Trail

Uma das provas de referência do calendário nacional e uma das minhas provas de referência no que a "respirar trail" diz respeito. Já há dois anos que participo na prova, em diferentes distâncias mas em ambas tive grandes momentos! A minha história nesta serra, a envolvência da população com a prova, a envolvência de grandes marcas com o evento, o profissionalismo com que toda a organização trata da prova levam-me a que queira sempre regressar!

As rotinas aqui também já estão criadas... Na sexta é dia de chegar, acomodar e preparar tudo! Um jantar de acordo com a prova que vamos ter no dia seguinte, assistir a um briefing muito bem dado e seguir para o descanso o mais rapidamente possível. Acordar bem cedo no sábado e fazer o check list de todo o material para ter a certeza que não falha nada, tomar um bom pequeno almoço e seguir para a linha de partida! Depois... Depois é desfrutar do melhor que o trail nos tem para oferecer: subidas intermináveis e descidas mais longas ainda, vistas de cortar a respiração e até as primeiras sensações de desconforto provocadas pelo ar rarefeito! No fim, a sensação que todos procuramos, que foi difícil mas que valeu cada segundo que passámos nesta Serra! É hora de descansar, recuperar e voltar a partilhar experiências e ficar mais "rico" com cada conversa... Aproveitar o ambiente de festa que por ali se vive e desfrutar em equipa destes momentos mágicos que vamos tendo! É por todas estas sensações que, na prova mais curta ou mais longa, farei sempre os possíveis para estar presente! 

Equipa no EGT 2017

2018

O ano ainda agora começou mas os planos já são muitos. Como já perceberam este tipo de fins de semana marcam-me mesmo muito, é ali que sinto que estou "em casa", que estou a tirar o maior partido do Trail... E como tal, este ano tenho como objetivo repetir estes dias, não só em prova, como em treino! Idealmente todos os meses teria um, mas economicamente talvez não seja muito viável. O MIUT já está marcado e vou ter muito tempo para aproveitar, em Maio tenho duas opções e qual delas a melhor: por um lado tenho a Estrela e o EGT (não dando para fazer a longa regressarei para outra das distâncias) que como disse acima me marcam mesmo muito, do outro lado tenho Zegama, uma prova mítica do calendário Mundial onde gostava muito de participar, assim o sorteio me sorrisse... Tenho duas semanas para me decidir, até fecharem as pré inscrições de Zegama mas se há coisa que me deixa satisfeito, é saber que ficarei sempre "bem servido"! Pelo meio ainda gostava de aproveitar as provas mais longe, como por exemplo os Reis para desfrutar de todo um fim de semana e queria também fazer um fim de semana de treinos pela Estrela e pela Lousã... Vamos ver o que o primeiro semestre deste ano me reserva! 

Por último gostava só de agradecer ao Caracol Trail Team e ao duo Filipe Torres e Luís Sommer Ribeiro... Os primeiros por deixarem sempre a vontade de voltar a fazer "brincadeiras", o espírito com que encaramos estes convívios faz com que queira sempre mais! Os segundos porque de cada vez que fazem um resumo dos fins de semana "lá fora" com os companheiros de aventura, deixam um aperto no estômago por também querer embarcar em "aventuras" dessas!


Comentários

Mensagens populares